Assembleia Legislativa do CE: Reforma do plenário, destruído em incêndio, irá custar R$ 23,7 milhões

Contratações foram feitas com dispensa de licitação e publicadas no Diário Oficial do Estado

Foto: Kid Jr.

Foto: Kid Jr.

A reforma do Plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), destruído após incêndio no dia 21 de junho, irá custar cerca de R$ 23,7 milhões, segundo dados disponíveis no Diário Oficial do Estado (DOE). O valor inclui as obras de reconstrução do local e para compra de um novo painel eletrônico — onde ficam registradas as presenças e ausências dos deputados estaduais.

As duas contratações foram feitas com dispensa de licitação "em razão da necessidade de retomada imediata da realização das atividades legislativas do Plenário 13 de Maio, afetado pelo incêndio no Edifício-sede da Assembleia Legislativa".

A empresa Lumali Engenharia LTDA foi contratada por R$ 18.791.104,50 para a "execução da obra de reforma, fornecimento e instalação, em caráter emergencial" no Plenário 13 de Maio. O ato foi publicado no Diário Oficial do dia 27 de junho.

Nesta quarta-feira (3), foi publicado no DOE, o extrato justificativo de dispensa de licitação da compra do painel eletrônico. A empresa Visual Sistemas Eletrônicos foi contratada por R$ 4.989.785,17.

A reforma no plenário foi iniciada nesta segunda-feira (1°), segundo informaram os deputados estaduais durante a sessão legislativa desta terça-feira (2) — a primeira realizada de forma presencial após o incêndio.

O Diário do Nordeste indagou à assessoria da Alece qual a previsão de conclusão das obras, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem.